Arquiurb, Arquitectura e Urbanismo

Moradias Unifamiliares

clique para ver slideshow

Moradia Anabela Santos (Maceira – 2009):

Moradia, localizada em Maceira, é constituída por um conjunto de planos que, na sua conjugação, dão origem a um espaço de vivência interior bastante agradável. Com um carácter formal contemporâneo, procurou-se respeitar todo um conjunto de motivos que levassem à integração física da referida moradia na malha urbana em que se encontra inserida. Ocupando uma posição privilegiada de localização relativamente à envolvente física, poderemos dizer que, em termos de implantação está estrategicamente localizado, podendo usufruir de boas potencialidades quanto a uma correcta insolação.

clique para ver slideshow

Moradia Ana André (Pêro Pinheiro – 2010):

Implantação de uma moradia unifamiliar em Pêro Pinheiro, de modo a que a presença desta surja como “marca” de um percurso real e vivo, através da utilização de materiais tradicionais. É pois, neste sentido que se sugeriu um espaço habitacional centralizado num universo de formas volumes e cores. Os estudos cromáticos elaborados para o presente edifício, incidem essencialmente sobre dois objectivos principais: o primeiro, a integração enfática pela cor de uma área e o segundo foi a criação de um ambiente que integrasse o edifício na estrutura da qual vai fazer parte.

clique para ver slideshow

Moradia André Ribeiro (Dona Maria – 2010):

No desenvolvimento desta moradia inserida na malha urbana de Dona Maria, procurou-se que as linhas marcadamente horizontais que definem os volumes se destacassem face à construção envolvente, predominantemente tradicional. Para que este destaque não fosse demasiado violento, adoptou-se um sistema cromático agradável em tons de branco e amarelo torrado, com integração de materiais da região, como é o caso de painéis forrados a pedra rústica, que contribuem para uma perfeita harmonia e integração cromática.

clique para ver slideshow

Moradia Hortêncio André (Morelena 2012):

Moradia unifamiliar integrada no espaço urbano de Morelena, desenvolvida com um carácter arquitectónico contemporâneo. Devido à envolvente desinteressante, procurou-se tratar a moradia como um objecto em si mesmo, favorecendo toda a vivência para o seu interior. A quantidade de vãos exteriores conferem uma grande luminosidade para o interior, dando origem ao aparecimento de diferentes ambientes. Para favorecer a integração do edifício na envolvente, adoptou-se uma cor neutra, conjugada com a aplicação de painéis de pedra da região..